quinta-feira, 17 de maio de 2007

Perfume

Sempre ouvi dizer que a justiça era cega, mas nunca me disseram que, para compensar a deficiência visual, ela havia apurado o olfato. Ótimo filme. Eu recomendo.

3 comentários:

Fernando Borges de Moraes disse...

Rê, li o livro lá pelos idos de 89, 90, mas não assisti ainda ao filme. É, de fato, uma trama interessante. O cara pareceu-me um puta perverso. Cinema e literatura são linguagens muito diferentes e a impressão naturalmente varia. Por isso não acho pertinente aquela afirmação clichê de que o livro é melhor. Não há que se compararar. Livro é livro. Filme é filme. Arte é arte.

Tathy disse...

Flor, te vi na NOVA! Arrasou na fotinha!!! bjs

Isadora A. disse...

gostou ?
eu nem curti não :(