terça-feira, 3 de julho de 2007

Fragmentos de um discurso meloso


... aí eu chorei, porque fazia tempo que eu não chorava e fiquei melhor. Parece que derreteram as coisas pesadas aqui dentro um pouco sabe? Tipo agora. Acho que tudo isso, isso tudo que tem aqui dentro, é choro. Choro duro, tipo cinza de vulcão, cinza de lava. Mas deve ser inferno astral, mesmo. Já passa. Você não cabe no envelope, mas promete que, se couber um abraço seu, daqueles bem fortes, você me manda pelo correio?

5 comentários:

K disse...

Se servir um abraço meu, tá mandado! É tão bom chorar e esvaziar o peito pra dar espaço aos novos sentimentos...

Seja feliz!
K

Antonoly disse...

Olá, como vai? ví seu blog e resolvi conhecer e posso dizer que gostei de tudo aqui!
Beijos!

Fernando Borges de Moraes disse...

"Ó meu caro, se tensionar todo nosso ser é dar prova de força, por que uma tão grande tensão seria fraqueza?" (Werther, Goethe).

Cíntia Freitas disse...

faz sentido, ou sou eu?

Si disse...

Linda, voltei pra Campinas... não poderei te ver no teu niver... mas quero te encontrar no próximo fim de semana. As comemorações se estenderão até o sábado???
Beijo